quarta-feira, 6 de agosto de 2008

You!

A minha opinião sobre:
É muito interessante, fácil de ler, acessível e chega a ser cómico (daí a facilidade na leitura). Dá-nos uma perspectiva diferente do funcionamento do nosso corpo e os médicos que o escreveram conseguem transmitir conceitos desconhecidos por grande parte da população. Como por exemplo:
Que o mais importante é ter pouca gordura na cintura porque é aí que se encontram os órgãos vitais, ou seja, se formos gordos na peida e pernas...menos mal!
Que existem hormonas programas para tudo: que nos dizem para parar de comer, que estamos saciados e até quando devemos comer (e esta, hein?).
Que devemos aprender a ouvir o nosso corpo e a distinguir a fome da vontade de comer (curioso...como sempre ouvi essa expressão e nunca lhe dei valor).
E falam num conceito - que, confesso, me fez impressão - da inflamação generalizada do corpo quando este se encontra obeso. Ou seja, o que é uma inflamação? É quando há um distúrbio e as coisas não funcionam bem. Logo, a obesidade é uma inflamação geral (ICA).
Isto foi o que eu retive do livro que vou entregar hoje à minha mãe e 'obrigá-la' a ler.
Quanto ao programa de exercícios sugerido não tenho nada a apontar. Acho que é excelente para quem não está habituado a fazer nada. E sobre o programa final de 14 dias...aí já discordo. Porque simplesmente o livro é norte-americano, as receitas idem, o modo de vida idem e todos esses factores dificultam qualquer português (que já é preguiçoso de nascença) a seguir o que quer que seja.

4 comentários:

Sui disse...

Conheço mas nunca li!!!
Pois essas americanisses é k devem complicar... lolololol

Jokinhas

Ana Sofia disse...

ainda bem k avisas, tou ks a ir d férias. kria comprar uns livrinhos p ler e parece k exe já tá na lista! bjs gds e folgo em ver_t + animada

Papoila disse...

hum... os tugas mais preguiçosos q os americanos?? discordo totalmente! vai ver as estatisticas, pá!

Violeta disse...

Comprei-o. Li-o. Pratiquei-o. Os exercícios até resultam, mas são um bocado enfadonhos. O plano alimentar é que, como tu dizes, inadaptado para portugueses.

Obrigada por comentares (mesmo quando estavas ocupada e podias fazer algo melhor!)