terça-feira, 25 de novembro de 2008

Descendente de gorda, tendência para gorda...

O post da Sakura sobre a atitude que a sociedade tinha em relação a ela enquanto gorda e agora enquanto magra deixou-me os neurónios em polvorosa.

Sou descendente de gente gorda. De gente com frases destas:
"Come tudo!"
"É só hoje!"
"Quero lá saber! Quando morrer vou deitada!"
"Só um bocadinho...é tão bom!"
"Tou cá com uns nervos!!! Vou comer qualquer coisa!"
"Uma bola de berlim, se faz favor."
"Come tudinho! Não vês nas notícias os meninos em África cheios de fome? Tens de comer tudo!!" (A esta, eu criança, respondia: Mas não lhes posso mandar a comida pela televisão pois não?)

Sou descendente de gente que sempre se refugiou na comida. Que tem bulimias nervosas e nunca nenhum médico ou especialista o detectou.
Vejamos: A minha mãe chegou a ultrapassar os 100 kg (há cerca de 10 anos fez uma RA com muitos cozidos e grelhados e chegou aos 80); A minha avó sofre de osteoporose (entre vários problemas) e a obesidade impede-a de ter melhor qualidade de vida; tenho uma prima que, aos 16 anos, ultrapassou largamente os 100 kg; uma das minhas tias com 35 anos tem um peso rondar esses números e desde que se casou (aos 20) que pouco liga à sua condição feminina (incluindo cabelo, roupa e dentes...parece que tem quase 50).

Hoje em dia os hábitos destas pessoas estão bem melhores do que há uns anos atrás. Mas não posso deixar de salientar o facto de todas elas se terem, numa ou outra altura, refugiado na comida.
E houve um dia em que fui com a minha prima (a tal de 16 anos, que agora tem 18 e já emagreceu cerca de 20kg) a um supermercado à procura de emprego para ela.

Lembro-me de, simplesmente, o gerente a ter mirado de alto a baixo e friamente responder que a vaga já estava preenchida. E lembro-me também dos momentos seguintes, no carro, em que arranjei coragem não sei onde para a animar e dizer que a vida é assim...uns vezes temos sorte e outros azar....Mas com vontade de dizer que a sociedade é uma merda e que há gente que não vale mesmo nada.

Tenho muitos mais episódios...comigo...conto depois...beijo.

3 comentários:

Da gordura à formosura disse...

A minha família do lado da minha mãe também é toda para o rechonchudo. Eu já nasci rechonchuda. Isso não quer dizer que não consigamos emagrecer, mas o estado psicológico tem muita influência e lá está, muitas vezes há o refúgio na comida. Comigo já aconteceu várias vezes e com muita gente que conheço. A sociedade é uma merda mesmo, houve alturas em que não me apetecia sair de casa, porque não queria ouvir comentários a meu respeito. Uma vez entrei numa loja com a minha mãe, que pretendia comprar um casaco, e a empregada não foi de coisas e disse logo que lá não havia roupa que lhe servisse. Enfim...Só gostava de saber em quê que essa gente se julga melhor!

Jojozinha disse...

pois, e mt triste existirem situaçoes desse tipo, mas o q e q podemos fzr?! nao ligar, so isso! somos superiores a esse tipo de preconceitos e pronto! =)
beijinho

jorge_m. disse...

Pois é, isso acontece, mas também acho que muitas vezes somos nós, isto é, pessoas que estão com um bocado de peso a mais, que nos rebaixamos. Acho que por vezes, pessoalmente falando, não gosto de entrar numa loja onde tem 4 ou 5 empregados, e ficam todos a olhar, uma pessoa parece que acha que estão a olhar e a comentar sobre nós, e talvez estejam... lol, mas sei lá. Mas sinceramente nem ligo muito a isso, sei que para raparigas deve ser pior, mas é assim a vida... como os brasileiros dizem, bola p'ra frente! lol